Pouco ExcitanteSatisfazExcitanteMuito ExcitanteSuper Excitante (5 votes, average: 4.40 out of 30)
Loading ... Loading ...
Fetiches — 09 March 2011
Traindo o marido sem culpa

Traindo o marido sem culpa

Sou uma mulher casada há 25 anos…Apesar de ter mais de 40 anos, ter  filhos, e de nunca ter me cuidado, tenho um corpo em forma ainda. Sou clara, 1,65m 58 kg. Uma bunda considerada bonita, pernas grossas. Sempre fui fiel e nunca havia olhado pra outros homens… Mas de uns tempos pra cá, venho imaginando como seria transar com outros homens… Comecei a ler alguns contos eróticos, assistir filmes…

Ficava tentando estimular meu marido a ser mais criativo, a variar um pouco as relações, afinal 25 anos é muito tempo! Mas por mais que eu tentasse ele não colaborava. Quase sempre do mesmo jeito.Minha imaginação estava cada vez mais ousada… Pensava numa trepada bem dada… Queria um sexo mais selvagem… Com um homem que soubesse me dominar, que me pegasse com força e com vontade… Ah!!! Como eu sonhei com um homem assim.Tinha ele na minha imaginação. Fechava os olhos e pensava como seria… Muitas vezes ficava tão excitada que tinha que me masturbar. Perto do meu trabalho tem uma praça por onde costumo passar, quando volto pra casa. Há uns meses, eu vinha pela praça com uma amiga, quando ela me mostrou um policial que estava sentado num banco.

Me disse para olhar porque ele estava olhando para mim… Imagina!!! Ele não está olhando não! Ele te olhou sim. Você não vê nada? Continuamos caminhando e rindo da situação. Eu gostei daquilo. Um homem me olhando!!! Mas achei que era coisa da cabeça da minha amiga. No dia seguinte passei de novo pelo mesmo local, e lá estava ele. Quando eu me aproximei, ele se levantou e veio em minha direcção. Era um homem negro de uns 40 anos, 1,90m com um corpo em forma, que dentro do uniforme ficava mais atraente ainda. Ele me olhou com um sorriso, eu fiquei sem jeito.

Baixei a cabeça e senti meu rosto corar. Mas aquele sorriso ficou na minha cabeça. Todos os dias eu ficava na expectativa de encontrá-lo. Depois de alguns sorrisos, olhares, ele finalmente puxou conversa. Conversamos sobre banalidades… Me perguntou onde eu trabalhava, se era casada… Me disse que ficava sempre me esperando passar, porque gostava de ficar me olhando… Continuamos naquela até o dia que me convidou para irmos para um lugar mais tranquilo… Fiquei com medo, mas eu queria viver aquela aventura.Eu inventei um curso pra fazer, e fui me encontrar com ele. Marcamos no apartamento dele, porque era mas seguro para mim. Ele morava sozinho, o que facilitava muito pra mim.

Entrei no prédio sem ser vista, toquei a campainha… Luís me recebeu com uma cara de safado… Foi me agarrando e me apertando com força, o que me fez gemer de tesão. Seu corpo era firme, seus braços fortes me seguravam me deixando sem movimento. Arrancou minha blusa, deixando meus seios livres para serem sugados por aquela boca que queria engolir tudo. Sem nenhum constrangimento arrancou um pau enorme e enfiou na minha boca, me fazendo chupar tudo… Enquanto me chamava minha branquinha gostosa… Abriu minha calça, me jogou de costa na cama, levantou minha pernas e arrancou de uma vez… Ficou segurando minhas pernas abertas foi se abaixando beijando e mordendo minhas coxas até chegar na minha xoxota que pulsava e babava de vontade de levar pau. Lambia e enfiava a língua, me fazendo tremer… Só parou quando gozei na sua boca…

Sentou numa cadeira, eu fiquei de joelho e comecei a chupá-lo de novo, até que derramou o leite na minha boca. Continuei mamando aquele pau até que ficasse duro de novo,  me levantei esfregando os seios em sua cara, fazendo ele morder os biquinhos, e mamando deliciosamente… Montei nele, sentido seu pau me rasgando… Era tão grande e tão grosso que tive que ficar rebolando bem devagar para que coubesse todo na minha xoxota. Eu rebolava feito louca, enquanto ele apertava minha bunda, pressionando mais ainda. Gozamos juntos num frenesi delicioso. Eu estava com a boca seca, o coração acelerado. Nunca havia tido uma trepada tão gostosa. Ele foi buscar água e trouxe uma garrafa de vinho. Bebi a água, enquanto ele enchia dois copos de vinho. Brindamos nosso encontro e bebemos um pouco. Começamos a nos beijar, ele começou a pingar vinho nos meus seios e a lamber. Deixou escorrer mais, e lambia me enlouquecendo.

Me virou de costas, deixando cair vinho na minha bunda e lambendo. Foi alisando minha bunda até enfiar o dedo no meu cú. Eu fiquei de quatro deixando as pernas bem abertas, me oferecendo toda pra ele. Ele me comeu por trás, enfiando com força o pau na minha buceta, me fazendo gozar de novo. Pegou um oleo e esfregou no pau, e foi enfiando na minha bunda bem devagar. Eu sentia que estava sendo rasgada, mas o prazer era maior que a dor. Fui rebolando ate acomodar aquele monstro no meu cú, ele socava enquanto enfiava os dedos na minha xoxota… Gozei como nunca. Foi a melhor trepada da minha vida. A primeira de muitas… Continuo me encontrando com ele, e cada vez é melhor.

loba*47

Contos Relacionados

Partilha

Acerca do Autor

Loba47

(1) Comentario

  1. ki.delicia keria ter o prazer de te comer todinha tbem ….. bs_mg@hotmail.com

Add Comment Register

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>